Entenda o que é o Bitcoin (BTC)

Vamos começar eliminando um pouco da confusão em torno da moeda virtual mais conhecida do mundo. De forma simples, o Bitcoin é a primeira criptomoeda criada, lançada em 2009, inicialmente como um software de código aberto, com o objetivo de oferecer uma tecnologia mais segura e descentralizada nas transações financeiras de compra e venda de bens e serviços.

Através de um sistema aberto a todos, é possível fazer pagamentos ou enviar dinheiro entre seus usuários, sem a necessidade de passar por uma autoridade central, como um banco ou uma operadora de cartão. Todas as transações são eletrônicas e criptografadas, que é uma longa linha de código de segurança com 16 símbolos distintos e que só podem ser lidas através de carteiras específicas. Bitcoins não são impressos, como dinheiro em papel, eles são produzidos por computadores em todo o mundo, através de um evento chamado “mineração”.

Na prática, você pode utilizar seus Bitcoins para fazer compras ou remessas de dinheiro, similar a um depósito bancário comum ou até mesmo a um débito em conta. Funciona como um ativo financeiro como qualquer outro, porém, 100% virtual, mais rápido e muito mais seguro que o dinheiro tradicional.

Quem criou o Bitcoin?

Acessando os registros da época de seu lançamento, em meados de 2008, sabe-se que foi um desenvolvedor de software chamado Satoshi Nakamoto, que descreveu sua criação como um sistema de pagamento eletrônico baseado em matrizes matemáticas. Sua motivação era desenvolver um meio de troca, sem a intervenção de bancos ou governos e que pudesse ser executado eletronicamente de forma segura e verificável. Ninguém sabe quem realmente é Satoshi Nakamoto ou se é apenas um pseudônimo.

Qual a diferença entre o Bitcoin e o dinheiro tradicional?

O Bitcoin pode ser utilizado como meio de pagamento de qualquer transação financeira de compra e venda. Nesse sentido, não diferente de utilizar reais, dólares, euros ou qualquer outro dinheiro conhecido, e que por sua vez também já vem sendo transacionados digitalmente na maiorias dos países.

Mas as semelhanças param por aí, há diferenças importantes entre as moedas tradicionais e as criptomoedas, apresentamos algumas delas abaixo:

1 – Descentralizado

Talvez a principal e mais importante característica a respeito do Bitcoin, é que ele não depende de bancos, operadoras de cartão de crédito ou de chancela dos governos. Não há uma instituição única controladora da rede bitcoins. Ele é mantido por um grupo de codificadores voluntários e administrado por uma rede aberta de computadores dedicados espalhados pelo mundo. O que atrai cada vez mais pessoas e grupos descontentes ​​com o controle abusivos que bancos ou instituições governamentais têm sobre seu dinheiro.

2 – Quantidade limitada

As moedas tradicionais possuem uma quantidade ilimitada de impressões, os bancos centrais podem emitir quantos quiserem e podem tentar manipular seu valor em relação a outros, e de acordo com seus próprios interesses financeiros ou políticos.

Já com o Bitcoin, é o oposto, sua produção é controlada de forma extremamente rígida por um algoritmo que fornece uma pequena quantidade de novos bitcoins a cada hora, e que se manterá em atividade até que seja atingido o máximo de 21 milhões de unidades. Isso torna o Bitcoin muito atraente como um ativo financeiro, já que em teoria, se a demanda crescer , seu valor aumentará também, porém, a quantidade disponível será a mesma.

3 – Anonimato

Pagamentos eletrônicos tradicionais são bastante burocráticos e exigem a identificação dos clientes para cada operação, seja por práticas anti lavagem de dinheiro, taxações ou controle de remessas. Os usuários do bitcoin, em teoria, operam com menos exigências ou em semi-anonimato. Como não depende de um banco ou operadora, os usuários não precisam se identificar ao enviar bitcoins para outra pessoa, ou seja, o sistema não precisa conhecer sua identidade.

Mas não confunda, o anonimato, como um incentivo a atos ilícitos,  já que a rede de transações é transparente e visível ao público, isso faz com que o bitcoin não seja uma moeda ideal para criminosos, terroristas ou lavadores de dinheiro. É possível constatar que cada usuário é identificado pelo endereço de sua carteira, onde as mesmas podem ser rastreadas, se necessário. Além disto, a maioria das bolsas de negociações, também são obrigadas por lei a realizarem verificações de identidade de seus clientes antes de dar acesso a negociações de bitcoins e outras moedas digitais.

4 – Irreversível

As transações de Bitcoin não podem ser revertidas, ao contrário das transações com moedas tradicionais, mesmo por meios eletrônicos. Não existe um árbitro ou entidade com poder para cancelar uma transação com criptomoeda, após a mesma ser registrada é impossível altera-la. Há pessoas no mercado que entendem como uma limitação na rede do Bitcoin, enquanto que outros atestam como uma forma a mais de segurança.

5 – Divisibilidade

Satoshi é o nome dado a menor unidade do Bitcoin, uma homenagem a seu criador e que equivale a um centésimo milionésimo de um bitcoin (0,00000001). Comparando com a moeda brasileira (R$), equivale a um centésimo de um centavo. A existência da micro divisão em uma única unidade da moeda possibilita uma maior adequação a maioria das conversões de moedas pelo mundo e a execução de transações em unidades menores que as possíveis com o real.

6 – Investimento

Diferente das moedas tradicionais, onde as opções de investimentos se baseiam em produtos bancários ou de governo, com características adjacentes ao próprio dinheiro. Investir em Bitcoin é uma das opções possíveis, pois ao mesmo tempo em que ele possui características de uma moeda tradicional, também pode ser considerado como um ativo financeiro, bastante comum nas bolsas de negociações ao redor do mundo. Como ativo financeiro, as operações mais praticadas com criptomoedas, como o Bitcoin, são a compra e venda, trade e mineração.


Importante:

Este material é somente para finalidades informacionais. Esta não é uma oferta de compra ou venda, ou uma solicitação de qualquer oferta de compra ou venda de qualquer dos ativos mencionados. As informações apresentadas não envolvem a prestação de consultoria personalizada em investimentos, finanças, leis ou impostos. Certas declarações aqui contidas podem constituir projeções, previsões e outras declarações prospectivas, que não refletem obrigatoriamente resultados reais e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. As informações fornecidas por fontes de terceiros são consideradas confiáveis ​​e não foram verificadas independentemente quanto à precisão ou integridade e não podem ser garantidas. As informações aqui contidas representam a opinião do (s) autor (es), mas não necessariamente da BlueBenx.

Todo investimento está sujeito a riscos, incluindo a possível perda do dinheiro investido. Como em qualquer estratégia de investimento, não há garantia de que os objetivos de investimento sejam alcançados e os investidores possam perder dinheiro. A diversificação não garante lucro ou protege contra uma perda em um mercado em declínio. O desempenho passado não é garantia de resultados futuros.

Total
5
Shares
Total
5
Shares
5 Shares:
Talvez você também goste